Viajar e poder participar dos momentos de lazer da família é uma realidade cada vez mais presente na vida dos bichanos!

Entretanto, há apenas um detalhe que lhe faz perder um pouco dessa empolgação e que gera bastante apreensão nos tutores: o enjoo em viagem.

É muito comum nos animais a sensação de mal estar desencadeada pelo movimento, principalmente naqueles que não estão acostumados a sair de casa.

O enjoo pode acontecer em qualquer meio de transporte, seja ele carro ou avião, sendo mais comum do que se imagina.

Viajar de carro pode ser muito divertido, ainda mais para aqueles que adoram sair de casa e já entram no carro sozinho.

Entretanto, a ideia de entrar em um veículo pode ser tanto quanto apavorante para alguns pets que, em muitos casos, chegam até a passar mal.

Os enjoos durante as viagens é chamado de cinetose.

Se esse é um problema que seu pet pode enfrentar durante as viagens, confira, neste artigo, algumas dicas para que ele possa viajar com muito mais conforto.

Por que os animais sentem enjoo em viagem?

A cinetose é bastante comum em animais com mais idade e filhotes. Seja qual for a causa, o gatilho é o movimento: assim que o veículo para, a sensação ruim também vai embora.

Um pet pode sentir enjoo em viagem por vários motivos, incluindo:

  • Falta de circulação do ar;
  • Impossibilidade de ver o horizonte;
  • Leitura em movimento;
  • Ansiedade de separação;
  • Causas genéticas;
  • Problemas no ouvido, como acúmulo de líquido ou infecção.

Em breve vamos fazer uma matéria especifica para tratar sobre a ansiedade de separação para que você entenda mais sobre esse assunto.

Como evitar o enjoo em viagem

Sabemos que o enjoo pode tornar a viagem de seu pet bastante desagradável.

Felizmente, há algumas dicas para trazer mais conforto para a viagem.

Confira como a cinetose pode ser evitada, a seguir:

cachorro pequeno no banco de tras do carro

1 – Reforço positivo para viagens e passeios

Faça um treinamento, simulando uma saída de carro sem sair do lugar, ou seja, na própria garagem de casa.

Finja que irá para um passeio, ponha seu pet dentro do veículo, ligue-o e finja que esteja dirigindo.

Utilize o reforço positivo durante as sessões.

2 – Verifique o sistema de segurança mais adequado para seu pet

Alguns pets se adaptam bem as caixas de transportes, principalmente animais que já estão acostumados a dormir e viajar em caixas de transporte.

Outros preferem os cintos de segurança próprios para animais.

Ambos são equipamentos legais e seguros, porém fique atento ao veículo e ao porte do pet.

A caixa de transporte facilita a limpeza do veículo e são mais adequadas nas viagens de animais anti sociáveis e mais agitados.

Todavia a caixa de transporte pode trazer desconforto para animais que não tenham o costume de utilizar.

O confinamento provocado pela caixa nessas situações aumentam a grau de estresses sendo recomendado o uso de cinto de segurança.

A caixa de transporte deve ter espaço suficiente para o animal se mover e girar e não pode ter rodas.

Deve ser feita de material resistente e ter ventilação adequada.

O tamanho das caixas de transporte não obedecem uma regra, cada fabricante define o tamanho e estabelece um critério próprio para identificar.

A maioria deles utilizam números. Quanto maior o número, maior a caixa.

Sendo assim, é muito difícil definir qual a capacidade para conduzir caixas de transporte em nosso veículos.

O avião também é um meio de transporte confiável, entretanto o acondicionamento do pet no porão (local onde a maioria dos animais são acondicionados em transportes dessa modalidade) impede que o pet aprecie a vista da janela tornando a viagem menos confortável, aumentando as chances de enjoo.

3 – Uso de medicamentos

O uso de alguns produtos pode ser “tiro e queda” para evitar os enjoos no carro.

Calmantes e remédios para prevenção e tratamento do vômito, por exemplo, podem prevenir e tratar o vômito agudo e controla os enjoos induzidos pelo movimento.

Converse com um médico médico veterinário!

Médica veterinária examinando cachorro

O uso de medicamentos receitados por especialistas podem deixar o pet bem tranquilo e longe da cinetose durante as viagens.

4 – Forneça refeições leves antes da viagem

O mal estar e as náuseas podem terminar em vômitos.

Não facilite esse problema, dando preferências a refeições leves e evitando tudo o que você já sabe que pode fazer mal ao seu pet. Vamos fazer uma matéria sobre a alimentação antes, durante e após a viagem.

5 – Mantenha seu pet hidratado

Ter uma fonte de água gelada ajuda a evitar os enjoos durante a viagem.

Entretanto, é preciso saber o jeito certo de hidratar seu pet.

Afinal, o excesso de água atrapalha a digestão, o que pode agravar o quadro.

cachorro bebendo agua

O ideal é hidratar de forma moderada e controlada ao longo do trajeto, para evitar as dores de cabeça que costumam acompanhar os enjoos.

6 – Mantenha a ventilação

Os sintomas mais comuns da cinetose são:

  • Cefaleia ou enxaqueca;
  • Náusea;
  • Vômito.

Despendendo do tipo de veículo é interessante deixar as janelas abertas para ter uma viagem mais confortável.

A circulação de ar ajuda a manter os animais mais confortáveis.

Caso não possa abrir as janelas por conta da necessidade manter o veículo climatizado, abra aquelas saídas individualizadas de ar-condicionado, isso ajudará a ventilar.

7 – Deixe seu pet confortável

Deixe o veículo climatizado, evite ruídos e tenha cuidado com a música que você ouve durante as viagens. Temos uma matéria que fala sobre isso em nosso blog.

Os pets são mais sensíveis que as pessoas e muitas vezes o que está confortável pera nós não está confortável pare eles.

cachorros no banco de trás do carro

Evite utilizar roupinhas, coleiras ou focinharias durante o deslocamento, a não ser que sejam necessárias.

Quando mais livre seu pet estiver mais ele vai aproveitar.

8 – Tenha atenção com a estabilidade do veículo

Na hora de acomodar seu pet procure as partes mais estáveis do veículo; isto é, as que balançam menos.

Quanto menor for a sensação de movimento e balanço constante, menor a chance de enjoar.

Veículos novos e modernos oferecem tecnologias que oferecerem maior estabilidade e menos ruídos.

É importante ressaltar que os veículos da MooviPet possuem controle eletrônico de estabilidade garantindo muito mais conforte, principalmente nas viagens mais longas.

9 – Mude de posição

Descubra qual é a posição mais confortável para seu pet.

Alguns pets preferem viajar deitados. Outros preferem ficar sentados. Experimente para ver o que funciona para ele.

Seja qual for a posição escolhida, tenha certeza de que ele está em um local seguro e confortável para reduzir a sensação de mal-estar.

10 – Forneça muito carinho durante a viagem

Além de aumentar o vínculo que entre você e o seu pet, sessões de carinho, brincadeira ou, até mesmo, só ter o cachorro do seu lado durante a viagem são práticas que diminuem o estresse, ajudam a regularizar a pressão arterial e são um ótimo calmante.

E os efeitos são válidos para você e para ele..

Se você estiver viajando com a MooviPet, aproveite que você não precisa ter atenção ao volante e aproveite para curtir a viagem junto de seu melhor amigo.

Mesmo nas viagens sem tutores nossos motoristas param periodicamente para fornecer carinho e realizar caminhadas que tornam as viagens muito mais confortáveis.

Locais que os cães mais gostam de receber carinho:

locais onde os cachorros gostam de receber carinho

11 – Mantenha seu pet distraído

Brinquedos e muitas interação com seu pet durante a viagem podem fazer com ele se divirta ao invés de ficar enjoado. Fornecer petiscos em pequena quantidade também podem fazer diferença e ajudam à deixá-lo mais feliz.

12 – Controle a ansiedade de seu pet

A preparação para garantir uma viagem confortável e segura começa antes mesmo do embarque, como já vimos.

As primeiras horas de viagem é o momento crucial, por isso é importante que o animal se sinta seguro e com o máximo e conforto.

Por isso é importante que o embarque ocorra com o animal hidratado e alimentado de forma moderada, aliviado (tendo realizado as necessidades fisiológicas).

Inicie a viagem bem cedo ou no final da tarde para que consiga temperaturas mais amenas em cidades quentes, despendido da época do ano.

Evite engarrafamento, freadas bruscas e curvas acentuadas dentro das cidades.

Normalmente os deslocamentos nas rodovias tem mais estabilidade e oferecem mais conforto.

Permita que o pet embarque tranqüilamente, com muita paciência e carinho.

Um embarque bem realizado assegura uma experiência muito mais confortável para o animais durante a viagem.

Agora que você já sabe como evitar o enjoo de seu melhor amigo e garantir todo conforto dele durante a viagem, que tal escolher o destino e curtir momentos inesquecíveis de sua vida ao lado de seu pet.


Acesse o site agora e agende sua viagem.



Deixe seu comentário